Correio dos Campos

Museu do Garimpo traz exposição Reflexão

18 de Maio de 2017 às 18:28

O Museu Histórico Edmundo Mercer Júnior,de Tibagi, abriu esta semana a exposição “Reflexão”, um retrato da comunidade afrodescendente do município para homenagear o Dia Internacional do Museu, comemorado nesta quinta-feira (18) e participar da Semana Nacional dos Museus, que ocorre de 15 a 21 de maio e tem como tema: “Museus e histórias controversas: dizer o indizível em museus”.

Para o diretor do espaço, Nery Assunção, a iniciativa vai ao encontro da recomendação do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), para que os museus do país promovam atividades culturais durante esta semana. “É uma ação para mostrar à população a importância dos museus. Eles escolhem o tema e a gente precisa fazer alguma atividade para cumprir essa determinação. A exposição Reflexão vai muito ao encontro do tema proposto. Tentamos retratar aqui o que nem sempre fica registrado nos livros de história. São fotos que mostram a comunidade negra como ela realmente é, sem disfarces”, explica.

De acordo com Nery, o objetivo do Ibram ao realizar a Semana de Museus é valorizar os espaços de memória e cultura e melhorar a relação dos museus com a sociedade e assim gerar um crescimento do público visitante. “As pessoas nem sempre valorizam a história do seu povo. Com essa iniciativa, queremos propor essa reflexão. Queremos chamar a comunidade para dentro do museu”, afirma.

Nery conta que a intenção da exposição é fazer uma dupla homenagem. “Lembramos o 13 de maio, que comemora a Abolição da Escravatura e também celebramos o dia Internacional do Museu, lembrado neste dia 18. Somos muito gratos ao povo dessa cidade que sempre acolhe nossos anseios. Essas fotos, na maioria, são do grupo Sorriso Negro e de algumas famílias importantes que fizeram parte da nossa história, e ainda fazem. Os negros tiveram participação decisiva na construção da nossa cidade. Quando o senhor José Félix chegou a Tibagi com 300 escravos e junto com o Machado Antonio Ribeiro conquistaram as terras onde é o município hoje, os negros foram determinantes. Eles formaram os grandes nomes da nossa história”, revela.

A exposição Reflexão fica no Museu do Garimpo até dia 21, após começará uma trajetória itinerante pelos espaços públicos da cidade.