Correio dos Campos

Arrecadação de ICMS em Ponta Grossa cresce 97% em 2021

No comparativo com o mesmo período do ano passado, o incremento do Município superou o crescimento no Estado, que foi de apenas 16%
5 de fevereiro de 2021 às 17:54
(Foto: Divulgação)

COM ASSESSORIAS – O Município de Ponta Grossa é mais uma vez destaque na arrecadação de ICMS no estado do Paraná. Em levantamento realizado pela 3ª Delegacia Regional da Receita (3ª DRR), Ponta Grossa registrou um incremento de 97% no fechamento de janeiro deste ano, em comparação com o mesmo período em 2020. A arrecadação de Ponta Grossa passou de R$ 76 milhões para R$ 151 milhões em janeiro de 2021. O incremento do Município superou o crescimento registrado pelo Estado, que foi de apenas 16% no comparativo do mesmo período.

A prefeita Elizabeth Schmidt comemorou os resultados: “Esse crescimento do ICMS é um reflexo da expansão da atividade econômica da cidade mesmo em relação ao período pré-crise. Vamos investir sistematicamente em programas de qualificação de mão-de-obra e fortalecimento do parque industrial. Na ponta dessa equação toda está o emprego, que é essencial para nossa cidade”, avalia a prefeita.

O crescimento na arrecadação do tributo representa também maior repasse dessa receita para o orçamento municipal. “Desses R$ 151 milhões gerados somente em Ponta Grossa, 75% vai para os cofres do Estado e 25% é dividido entre todos os municípios, conforme o índice de participação. Dessa arrecadação de janeiro, R$ 3,5 milhões volta como receita para Ponta Grossa. O ICMS é hoje a maior receita que o Município tem de transferência constitucional, representando cerca de 30% do nosso orçamento”, detalha o secretário da Fazenda, Cláudio Grokoviski.

A arrecadação do ICMS em janeiro tem reflexo direto do consumo na cidade em dezembro, com as comemorações e festividades de final de ano. “Indica que nossa cidade já está à frente de outros municípios na retomada econômica, com um bom potencial de consumo por parte da população. Esperamos que o consumo siga nesta tendência, especialmente com a chegada de outras datas comemorativas nos próximos meses, mantendo a economia aquecida”, aponta o secretário de Indústria, Comércio e Qualificação Profissional, José Loureiro.