Correio dos Campos

Secretário de Fazenda esclarece cortes de água e telefone em prédios municipais de Piraí do Sul

25 de Maio de 2017 às 13:49

O corte no fornecimento dos serviços de telefonia e abastecimento de água em prédios da prefeitura de Piraí do Sul ganhou grande repercussão nos últimos dois dias, especialmente nas redes sociais.

O assunto gerou centenas de comentários que foram postados através de contas pessoais, além de muitos compartilhamentos através do aplicativo WathsApp.

Algumas postagens demonstravam claramente apenas as posições políticas de seus autores, sem qualquer informação embasada nos fatos que originaram a suspensão desses serviços.

 

O que aconteceu? – Em contato com o secretário municipal de Fazenda, Luiz Maurício Moreira de Lima, a equipe do Correio dos Campos foi informada que os pagamentos das contas de água e telefone de abril e que seriam pagas no mês de maio não puderam ser realizados em virtude da mudança de todas as senhas e informações bancárias que, necessariamente, tinham de ser alteradas após a posse do atual prefeito, José Carlos Sandrini.

 

Pedido – Luiz Mauricio disse que o pedido de substituição dos dados e senhas foi feito às instituições bancárias logo após a posse dos novos secretários e também do prefeito, mas que tal liberação sempre demora um certo tempo para ocorrer. “Para que os cidadãos tenham ideia, apenas na data de hoje (ontem, dia 24) é que recebemos uma das senhas que solicitamos lá na primeira semana de maio. Com isso, todas as contas a pagar que eventualmente estejam vinculadas a essa conta bancária também não puderam ser pagas até agora”, disse o secretário.

 

Processo legal – Se não bastasse a alteração das senhas e códigos bancários, outro fator que contribuiu para o atraso no pagamento foi o trâmite dos processos de inexigibilidade de licitação para a contratação dos serviços das empresas Oi (telefonia fixa), Copel (energia elétrica) e Sanepar (fornecimento de água e tratamento de esgoto), os quais foram concluídos e publicados no diário oficial do Município durante as duas últimas semanas. Com a finalização desses processos foram celebrados os contratos necessários, amparando dessa forma a atual gestão a efetuar legalmente o pagamento desses serviços.

 

Nem Tim, nem Marcio e nem Zé – Com os esclarecimentos prestados por Luiz Mauricio, ficou evidenciado que as contas não estavam atrasadas a muito tempo e que teria sido deixado dinheiro em caixa para que o atual prefeito arcasse com tais obrigações. Dessa forma, após esclarecidos os fatos, pode-se concluir que: Valentim Milléo não deixou as contas atrasadas; que Marcio deixou recursos previstos e em caixa para o pagamento; e que, por fim, Zé Sandrini não demonstrou incompetência ou má-vontade em pagar pelos referidos serviços.

 

Religamento – Lima informou que todos os pagamentos foram feitos e que a solicitação de restabelecimento dos serviços já foi providenciada pela equipe da prefeitura.