Correio dos Campos

Exposição comemorativa marca reabertura ao público do Museu Conde Francisco Matarazzo

12 de Maio de 2021 às 18:04
(Foto: Divulgação)

COM ASSESSORIAS – O Museu Histórico Municipal Conde Francisco Matarazzo já tem mais de uma década de recepção ao público. Foram mais de 50 mil pessoas recebidas e várias exposições de sucesso. Para comemorar, o Departamento de Cultura da SMECEL (Secretaria Municipal de Educação, Cultura, Esporte e Lazer) prorrogou a exposição “Museu Histórico Municipal “Conde Francisco Matarazzo – 10 Anos de Resgate e Preservação”. A mostra, além de comemorativa, marca a reabertura do museu, seguindo todos os protocolos sanitários.

O espaço esteve apenas com funcionamento interno, com cuidado e manutenção do acervo, devido às restrições da pandemia nos últimos meses. Mesmo de portas fechadas temporariamente para os visitantes, o museu continuou limpo e bem cuidado, tanto internamente como na área externa. O prédio, construído em 1924 para acomodar a família Matarazzo em suas vindas à Jaguariaíva, é revestido de antiguidade e valor cultural, por isso recebe da administração municipal constantes serviços de preservação. Destaque entre as melhorias recentes está a rampa de acesso, que possibilita aos cadeirantes e deficientes físicos a entrada facilitada.

Ativa até 1º de outubro, a nova exposição deve receber visitantes de segunda a sexta-feira, das 9h30min às 12h e das 13h30min às 16h30. Junto a esta exibição principal, que resgata as últimas mostras e, principalmente a organização e recuperação do museu, há duas exposições permanentes. Uma é sobre as “Indústrias Matarazzo”, com objetos e imagens que remetem ao tempo que o Conde Matarazzo tinha grandes atividades na cidade, contribuindo para o desenvolvimento econômico e cultural do município.

Outra exposição permanente é a da “Associação Atlética Matarazzo”, cujas peças relembram os bons tempos do clube, que reunia funcionários do Frigorífico Matarazzo para momentos de lazer e confraternização entre as famílias e a comunidade. O museu fica na PR-151, km 213. Informações e agendamentos podem ser feitos através do telefone (43) 3535-7819.

Resgate e Preservação – Em 2009 uma nova gestão assumiu a administração municipal de Jaguariaíva. Nesse mesmo ano houve a contratação, através de concurso público, de profissionais habilitados a fim de realizar um trabalho técnico junto ao Museu Histórico Municipal Conde Francisco Matarazzo, que abrigava provisoriamente o então Museu Ferroviário de Jaguariaíva. Para isso, assumiram museóloga e historiadora, que complementariam ambos os trabalhos.

Segundo o diretor do Departamento de Cultura, Vinícius Schadner, o museu estava fechado para o público e foi encontrado em situação precária em todos os âmbitos. “O acervo material, fotográfico e documental estava espalhado no porão da edificação, sem qualquer cuidado, exposto a ação de agentes externos que comprometiam a qualidade dos bens históricos, além de entulho e sujidade excessiva. inicialmente, buscou-se a limpeza, organização e desocupação do local para acondicionamento adequado das peças que ali se encontravam”, relata.

Durante o período de revitalização o acervo ferroviário recebeu os primeiros cuidados básicos: higienização, acomodação em reserva técnica apropriada e, mais tarde, transferência dos materiais para o Memorial Ferroviário, localizado na Estação Cidadã Agente Durvalino de Azevedo.

Foram meses de manutenção constante até que o museu apresentasse condições de atendimento ao público, o que aconteceu em maio de 2010, com a abertura da exposição “O trabalho nas Indústrias Reunidas Francisco Matarazzo em Jaguariaíva”. De lá pra cá o local recebeu mais de 50 mil visitantes e realizou 13 exposições (fixas e itinerantes) com temáticas variadas:

• Associação Atlética Matarazzo em Jaguariaíva (2011);
• A História da Ferrovia em Jaguariaíva (2012);
• Registrando a tecnologia em telefonia e fotografia (2013);
• A vida que vem das rochas (2013);
• Tropeirismo: Parte da Nossa História (2013);
• Um recorte da História através da Numismática (2013);
• Recordando nossa infância: o ato de brincar (2014);
• Memórias Escolares: Da palmatória ao projetor (2015);
• Segredos da beleza: uma viagem no tempo através dos acessórios (2016);
• A Hora do chá: Sociabilidades e memórias domésticas (2017);
• Memórias do Lembrador: apresentando a coleção João Batista Alves (2018);
• Pequenas Colheres, Grandes Viagens – apresentando a coleção Luísa Cristina dos Santos Pontes (2019)

Além das exposições, o Museu Municipal Conde Francisco Matarazzo realiza ações junto às escolas, entidades, projetos e comunidade com visitas guiadas. Outro marco importante na instituição é a exposição de Natal, que transforma o ambiente no “Palacete do Noel” desde 2010, atraindo milhares de visitantes de toda região no final do ano.