Correio dos Campos

Suspeito de atear fogo em loja de bebidas por não conseguir ‘fiado’ diz que gastou R$ 30 para causar incêndio; Veja o vídeo

Declaração foi feita durante um depoimento à Polícia Civil. Justiça concedeu liberdade ao rapaz sob o pagamento de fiança, mas jovem continua preso.
4 de Maio de 2021 às 15:39
Jovem foi preso por atear fogo em loja de bebidas, em Maringá, segundo a polícia. (Foto: Reprodução/RPC)

Um jovem que foi preso suspeito de ter ateado fogo em uma loja de bebidas por não conseguir “fiado”, em Maringá, no norte do Paraná, disse à polícia que pagou R$ 30 para comprar um galão e gasolina usados no incêndio.

O rapaz foi preso na madrugada de sábado (1), após despejar um galão de gasolina na fachada da loja de bebidas, na Avenida Alexandre Rasgulaeff, no Jardim Alvorada, e acender com um isqueiro.

Em depoimento, o suspeito do crime confessou ao delegado, durante o interrogatório, que ateou fogo após chegar à loja alcoolizado e discutir com o dono do disque-cerveja.

Segundo ele, o proprietário da loja proferiu ofensas e o empurrou, após ouvir o pedido de ‘fiado’. O rapaz também relatou que, após a discussão, foi em um posto de combustíveis e comprou os materiais para o incêndio.

“O problema é que, tipo assim, se ele falasse assim: ‘Não posso te vender, tchau’. Tudo bem, eu ia embora pra casa. O problema é que ele veio querendo me humilhar. ‘Não posso te vender, vai embora daqui’, veio me empurrando”, disse o jovem.

Após atear fogo na fachada do estabelecimento, o rapaz foi perseguido e contido por testemunhas. Ninguém se feriu no incêndio.

Liberdade

A Justiça concedeu liberdade provisória ao jovem sob o pagamento de R$ 6 mil – o dobro da renda mensal que ele declarou no interrogatório. Apesar disso, o valor não foi pago e ele continua preso.

Na tarde de segunda-feira (3), o juiz Cláudio Camargo dos Santos, da 1ª Vara Criminal de Maringá, reduziu o valor da fiança do rapaz para R$ 2 mil. Também não houve pagamento.

A defesa do suspeito apresentou à Justiça um novo pedido para que o valor da fiança fosse zerado.

“O réu é vendedor e tem sofrido grandes dificuldades para o seu sustento, e de sua família, visto que é o provedor do lar e possui filhos menores que necessitam da presença paterna e dependem do genitor, em razão do que é alegado o indiciado não possui mínimas condições de pagar qualquer valor estipulado a título de fiança”, escreveu a advogada Juliana Pastoril, no pedido à Justiça.

Ainda não há decisão sobre a dispensa do pagamento da fiança.

 

Jovem foi preso por atear fogo em loja de bebidas, em Maringá, segundo a polícia. (Video: Reprodução/RPC)

Fonte: G1