Correio dos Campos

Sete casos suspeitos de dengue em Palmeira estão sob investigação

4 de Maio de 2022 às 18:29
(Foto: ilustativa)

COM ASSESSORIAS – No mês de abril a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) declarou situação de epidemia de dengue no Paraná devido ao aumento do número de casos. De agosto de 2021, data em que o Estado começou a realizar o monitoramento da dengue no atual período sazonal da doença, até o momento, o Paraná contabiliza quase 110 mil notificações e nove mortes pela doença.

Já o município de Palmeira, no ano de 2022, registrou nove casos, sendo dois descartados para dengue e sete casos que estão em investigação, aguardando o laudo de exame confirmatório do Laboratório Central do Estado (LACEN).
O Paraná, de acordo com o 36º Informe Epidemiológico da Sesa, divulgado na terça-feira (3), já registrou 109.574 casos notificados. São 15.230 a mais na comparação com a semana passada. Além disso, há 37.048 confirmações de casos, um aumento de 23,45% em sete dias.

Dos 374 municípios que registraram notificações de dengue (93,7% do Estado), 309 já confirmaram a doença (77,4%). De acordo com o relatório, 269 deles confirmaram casos autóctones no período, ou seja, a dengue foi contraída no município de residência dos pacientes.

Dengue

O vírus da dengue é transmitido pela picada da fêmea do Aedes aegypti, um mosquito diurno que se multiplica em depósitos de água parada acumulada nos quintais e dentro das casas. A doença viral é transmitida por mosquitos que ocorre em áreas tropicais e subtropicais.

Os sintomas são febre alta, erupções cutâneas e dores musculares e articulares. Em casos graves, há hemorragia intensa e choque hemorrágico (quando uma pessoa perde mais de 20% do sangue ou fluido corporal), o que pode ser fatal.

O tratamento inclui ingestão de líquidos e analgésicos. Os casos graves exigem cuidados hospitalares. Pessoas infectadas com o vírus pela segunda vez têm um risco significativamente maior de desenvolver doença grave.

Para tomar medidas preventivas e impedir a dengue, a melhor atitude é combater os focos de acúmulo de água. Esses locais são propícios para a criação e reprodução do mosquito transmissor da dengue.

Para prevenir a chegada da doença veja alguns cuidados importantes:

1 – Mantenha bem tampados: caixas, tonéis e barris de água;
2 – Coloque o lixo em sacos plásticos e mantenha a lixeira sempre bem fechada;
3 – Não jogue lixo em terrenos baldios;
4 – Se for guardar garrafas de vidro ou plástico, mantenha sempre a boca para baixo;
5 – Não deixe a água da chuva acumulada sobre a laje;
6 – Encha os pratinhos ou vasos de planta com areia até a borda;
7 – Se for guardar pneus velhos em casa, retire toda a água e mantenha-os em locais cobertos, protegidos da chuva;
8 – Limpe as calhas com frequência, evitando que galhos e folhas possam impedir a passagem da água;
9 – Lave com frequência, com água e sabão, os recipientes utilizados para guardar água, pelo menos uma vez por semana;
10 – Os vasos de plantas aquáticas devem ser lavados com água e sabão, toda semana. É importante trocar a água desses vasos com frequência;
11 – Convoque seus vizinhos, sua comunidade, amigos e parentes a se engajarem nesse combate aos criadouros do mosquito Aedes aegypti.