Correio dos Campos

Aline Sleutjes tem apoio de vereadores de Castro após título injustamente rejeitado

O posicionamento contrário foi impulsionado por questões políticas. Com sete votos contra seis, o projeto de lei da presidente da Câmara, Fátima Castro (MDB), foi arquivado
15 de Maio de 2020 às 16:48
(Reprodução/Internet)

COM ASSESSORIAS – A deputada federal Aline Sleutjes, do Paraná, recebeu o apoio de vereadores que votaram a favor do título de Cidadã Benemérita, que poderia ser oferecido pela Câmara Municipal de Castro, mas que foi injustamente rejeitado por 7 votos a 6, na sessão da última segunda-feira (11). O projeto de lei 08/2020 foi apresentado pela presidente da Casa, vereadora Fátima Castro (MDB), e já havia recebido anteriormente pareceres favoráveis da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) e da Assessoria Jurídica.

“Estou muito decepcionada com o ocorrido. Foi vergonhoso”, disse a vereadora Fátima, em entrevista à rádio Antena Sul FM, na manhã desta sexta-feira (15). Votaram contra os vereadores Maurício Kusdra (PSB), Dirceu Ribeiro (Podemos), Gerson Sutil (PSC), Joel Elias Fadel (Patriota), José Otavio Nocera (Patriota), Jovenil Rodrigues de Freitas (Podemos) e Neto Fadel (Patriota). Eles afirmaram que não seria “um momento oportuno” para conceder o título à Aline.

Para a presidente da Câmara e autora da proposta, o posicionamento de negar o título “foi puramente político e não por falta de mérito. Estou revoltada, porque ela não merece.” A vereadora Fátima disse que usará a tribuna da Câmara para retomar o assunto na sessão da próxima segunda-feira (18). “Reconheço a autonomia de voto dos vereadores, estamos em um processo democrático, mas não posso deixar de lamentar o posicionamento dos vereadores.”

O vereador Rafael Rabbers, que também votou a favor do título, concorda que tenha sido uma mera questão política e exaltou a trajetória de 20 anos de política da deputada Aline Sleutjes em dedicação à sua terra natal. “E agora, como primeira deputada federal eleita de nossa cidade, se dedica além de Castro, também ao trabalho para o nosso estado e país. Lembro que quando ela se elegeu vereadora, deixava de lado sua carreira particular para se dedicar exclusivamente ao mandato. Isso mostra o empenho e comprometimento pelo qual ela recebeu os votos.”

Outro voto a favor, o vereador Luiz Cezar Canha Ferreira (DEM) recordou o tempo em que trabalhou com a deputada Aline, de 2012 a 2016. “Ela sempre prestou um belo trabalho no legislativo uma pessoa muito competente. Votei a favor pelo fato de ela ser hoje maior representante do município e também pelo fato dela ter marcado a história de Castro como a primeira castrense a ocupar o cargo de deputado federal e pela representatividade das mulheres na sociedade ser muito importante para o desenvolvimento.”

Segundo Ferreira, a reprovação do título foi uma tentativa de impedir que Aline possa crescer politicamente dentro da cidade. “Com clareza, ela vai trabalhar seu nome novamente nas campanhas que logo virão, portanto, para eles, quanto menos aparecer o nome dela melhor.” Também votaram a favor Herculano da Silva (DEM), Antonio Sirlei Alves da Silva (DEM) e Paulinho de Farias (PSD).

Conquistas para Castro

Vale lembrar que, em menos de um ano e meio de mandato como deputada federal, Aline Sleutjes já realizou muitas conquistas pelo Paraná, em especial para Castro. Ela trabalha com prioridade pela liberação de R$ 15,7 milhões para Castro, garantidos por meio de emendas parlamentares (ao todo R$ 70,7 milhões para o Paraná), para serem investidos nas áreas da Saúde, Infraestrutura, Segurança Pública, Educação e Assistência Social da cidade. Com destaque para R$ 10 milhões para a estrada do distrito de Socavão, para ser investido na segunda etapa de obras no trecho entre o Pinheirão e o Cruzo, de grande fluxo de caminhões e atende a mineradores e produção leiteira e agrícola da região.

A deputada Aline afirma ter ficado decepcionada com o posicionamento dos sete vereadores que votaram contra o título, por considerar que o voto deles deveria representar a voz de Castro. “Acredito que a população está feliz com meu trabalho, pelas mensagens que recebo, pelo que ouço quando estou na cidade e tudo que tenho feito por Castro. Com todas as conquistas, avanços e representatividade, acredito que entrei para a história de Castro. Sou a primeira deputada federal de Castro. A cidade levou 314 anos para isso acontecer e agora sete vereadores rejeitam conceder um título de cidadã benemérita?”, questionou.

A parlamentar disse ainda que continuará empenhada em construir uma nova Castro, uma nova Paraná e um novo Brasil. “Vou permanecer com meu trabalho com as mesma dedicação e amor com que sempre trabalhei nestes 20 anos de política. Amo o que faço e esta é a minha missão. Trabalharei pelos que me valorizam, apoiam e dão ânimo e coragem. Pela minha família, que é sacrificada e sente minha ausência, por conta dos compromissos em Brasília, pela minha equipe, que dá seu melhor todos os dias e pelos que rezam, lutam e torcem por mim e pelo Brasil”, disse.