Correio dos Campos

Meio Ambiente faz palestras em escolas de Tibagi

15 de Maio de 2017 às 12:19

A Secretaria Municipal do Meio Ambiente realizou uma série de palestras nas Escolas Estaduais para falar de reciclagem e das ações do programa Recicla Tibagi.

Além das informações técnicas sobre o assunto, os alunos também acompanharam a exibição de um vídeo e o relato da história e experiência de vida da catadora Dona Maria. O objetivo é esclarecer as principais dúvidas que ainda possam existir em relação ao tema e também contar um pouco da história do programa Recicla Tibagi, que hoje tem um Centro de Compostagem e Triagem (CCT) que é gerido pela Associação de Catadores de Materiais Recicláveis de Tibagi (ACAMARTI), órgão ligado à Prefeitura. De acordo com a gerente da secretaria, Leri Ribeiro, a reciclagem precisa ser trabalhada nas escolas com mais freqüência, já que ainda desperta muitas dúvidas, principalmente em crianças e adolescentes. “Apesar de se ouvir falar muito em reciclagem as pessoas ainda tem dúvidas de como deve ser feita a separação do lixo, por exemplo. As pessoas misturam produtos orgânicos com recicláveis, e muitas vezes, é por desconhecimento mesmo. Tentamos passar para eles, de uma forma resumida, como deve ser feita essa separação e que fazendo isso, eles vão ajudar a cuidar do meio ambiente e também garantir o sustento de muitas famílias. Explicar a existência da ACAMARTI e mostrar como é possível ter um projeto sustentável é de extrema importância. Eles precisam saber que o lixo que eles separam ajuda por comida na mesa de muita gente. É um trabalho social” , explica.

Para mostrar mais a realidade do Recicla para os alunos, Leri convidou Dona Maria, catadora do programa, para falar sobre sua experiência e como o Recicla Tibagi interferiu em sua vida. Dona Maria fez um relato emocionado embora estivesse sempre com um sorriso largo no rosto. Ela contou que conseguiu criar os filhos com a ajuda do programa e que no começo não teria sido fácil, mas que hoje, tem muito orgulho de ver o quanto evoluiu.

Dona Maria quer se aposentar, mas já adiantou que não sabe como vai conseguir viver longe dos companheiros de reciclagem. “É de lá que sai o meu pão de cada dia. Quero, que quando me aposentar, os outros continuem lá, porque todo mundo é uma família. Se não fosse esse serviço não sei que seria de mim e dos meus filhos. O programa não pode acabar nunca. Hoje estou muito feliz por darem importância ao trabalho da gente”, relata.

A professora de Sociologia, Elaine Lopes, está muito satisfeita com o conteúdo das palestras e acredita que foi muito importante contar a história dos catadores. “Estou trabalhando reciclagem na sala de aula e foi muito importante essa experiência que eles passaram. Muitos não conheciam o lado humano, eles não entendiam muito bem como funcionava. Acho que a partir de hoje eles terão outra visão sobre o lixo”, acredita.

As palestras aconteceram na quinta-feira (11), pela manhã e tarde no Colégio Estadual Leopoldina Bittencourt Pedroso e à noite no Colégio Estadual Irênio Moreira Nascimento. No dia 18, a secretaria deve fazer nova palestra no Colégio São Bento, na localidade de São Bento do Amparo, destinada a pais e professores.