Correio dos Campos

Covid-19: Ponta Grossa libera funcionamento de supermercados aos domingos e retorno gradativo de aulas

Decreto também estabelece que servidores vacinados voltem ao trabalho presencial 15 dias após a imunização.
14 de Maio de 2021 às 14:45
Rede municipal de ensino retomará aulas presenciais em Ponta Grossa. (Foto: Reprodução/RPC)

A Prefeitura de Ponta Grossa, nos Campos Gerais do Paraná, publicou um novo decreto, na quinta-feira (13), com medidas mais flexíveis para funcionamento de comércio na cidade.

O decreto libera que serviços de alimentação e supermercados possam funcionar aos domingos. Os estabelecimentos pode funcionar das 6h às 23h.

O documento também permite que a Secretaria Municipal de Educação determine o retorno gradual de atividades presenciais. O retorno já estava previsto pela Secretaria Municipal a partir de segunda-feira (17). A volta deve ser escalonada.

Medidas

Veja as medidas estabelecidas no decreto:

  • Toque de recolher das 23h às 5h;
  • Restaurantes, supermercados, padarias e outros serviços de alimentação podem funcionar todos os dias, inclusive aos domingos, das 6h às 23h.
  • Rede Municipal de Ensino pode funcionar conforme instruções da Secretaria Municipal de Educação.
  • Proibido funcionamento de shows, circos, teatros, cinemas, museus e atividades correlatas;
  • Proibida a aglomeração de pessoas, exceto reuniões, eventos, comemorações, assembleias, confraternizações, encontros familiares ou corporativos com ocupação máxima de 30% do espaço
  • Comércio de rua, centros de compra e shoppings podem funcionar nos dias e horários normais de atendimento.
  • Salões de beleza, barbearias, estúdios de pillates e similares podem funcionar em dias e horários normais de atendimento, mediante agendamento prévio e com ocupação de até 30%.

Covid-19 em Ponta Grossa

De acordo com o boletim divulgado pela Secretaria Estadual da Saúde (Sesa), Ponta Grossa registrou, desde o início da pandemia, 33.546 casos de Covid-19. Deste total, 843 pessoas morreram vítimas da doença.

Fonte: G1