Correio dos Campos

Nova sede da ACIPG é lançada na posse da Diretoria

Instituição ampliará a estrutura para melhor servir o empresariado.
29 de Maio de 2018 às 18:08

COM ASSESSORIAS – A segunda parte da solenidade de posse da Associação Comercial, Industrial e Empresarial de Ponta Grossa (ACIPG) foi para mostrar a maquete na nova sede da instituição. Em um projeto ousado, o espaço contará com quase 10 mil m² de área construída, que além de proporcionar conforto para o associado, possibilitará aumentar a gama de serviços e realizações de eventos destinados ao empresariado em geral. Participaram deste ato, além do presidente Douglas Taques Fonseca, secretário de Estado Infraestrutura e Logística, Abelardo Lupion, representando a governadora Cida Borghetti (PP) e da prefeita em exercício Elizabeth Schmidt (PSB).

De acordo com o engenheiro e arquiteto Marco Moro, da Esfinge Arquitetura e Engenharia, a moderna edificação contará com cerca de 9.750 m², distribuídos em seis pavimentos. O local contará com estacionamento amplo, auditórios com 360 lugares, uma sala de eventos plana e multiuso, podendo ser utilizada com cadeiras ou mesas para jantar, salas para locação e salas de aula especialmente projetadas para educação executiva, nos moldes de escolas de negócios reconhecidas internacionalmente. “No pavimento térreo se dará o acesso principal, contando com recepção, auditório, sala de eventos, café, infraestrutura de apoio e salas para os parceiros comerciais. Os três andares acima contarão com mais alguns espaços para parceiros, além de toda a estrutura administrativa e diretiva da ACIPG. No subsolo, os dois primeiros pavimentos da edificação servirão de estacionamento, com capacidade para mais de 100 veículos”.

Para Moro, a inspiração arquitetônica vem da união entre o vidro, o aço e concreto, que envolve o pensamento coletivo ideais de responsabilidade e transparência. “O aço é um material amplamente usado na indústria e faz sempre alusão ao setor. O vidro é um material muito utilizado no setor comercial, com amplas vitrines na maioria dos empreendimentos. Faz alusão também à transparência das ações propostas pela ACIPG. Já o concreto é sempre lembrado pela robustez, solidez, longevidade. Por isso usado nos pavimentos de embasamento, destinados como área de estacionamento”, disse.

Um dos fatores estruturais a serem destacados é a sustentabilidade da edificação. Moro relata que o edifício contará com sistema de reaproveitamento de água pluvial, diminuindo o uso de água potável. Além disso, ele explica que os vidros especiais atuarão no controle térmico e solar, diminuindo gastos com iluminação e climatização. Posicionados de maneira adequada, aumentarão a iluminação e ventilação natural, diminuindo o uso do ar-condicionado. “A nova sede terá ainda cobertura do tipo telhado verde, amenizando a incidência dos raios solares, um sistema de climatização moderno, inteligente e mais eficaz, para o uso quando necessário, além de sistema de energia alternativa, com instalação de painéis fotovoltaicos para captação e uso de energia solar”, explica Moro.

A ACIPG

Desde 1998, a ACIPG conta com um terreno de área aproximada de 13 mil m², adquirido pela primeira gestão do atual presidente, Douglas Taques Fonseca. Ele conta que nas gestões posteriores a dele, entenderam que ao invés de construir uma nova sede, a atual poderia ser ampliada, como foi. “Os presidentes das gestões de 2000 até 2016 fizeram um excelente trabalho, ampliando consideravelmente a atual sede, bem como graças ao trabalho dinâmico e boa gestão, fizeram um caixa que possibilitou custear atualmente 40 % da obra da nova sede”, explica Fonseca, afirmando que a atual sede cumpriu seu papel, mas que, pela expansão natural da instituição e a dificuldade de estacionamentos no entorno, construir uma nova sede é uma necessidade.

Com um custo aproximado de R$ 7 milhões, a intenção da atual Diretoria é que a estrutura atenda a demanda da instituição para os próximos 30 anos. Fonseca comenta que quanto a escolha do local da sede, mesmo atualmente sendo uma região pouco utilizada pela população, com a instalação da sede, certamente valorizará esta parte da cidade, ampliando o comercio ao entorno. “Já para o associado, além de um transito menos intenso que no centro, a região será mais tranquila e a estrutura, incluindo o estacionamento próprio, oferecerá mais segurança aos usuários”, explica.

Em relação aos recursos para a construção, Fonseca explica que além dos 40% em caixa, a ACIPG já conta com financiamento aprovado. Porém, ainda são estudadas maneiras para captação de recursos. “Essa decisão será tomada futuramente. Temos que estudar as condições do mercado imobiliário para a venda da sede atual, como também, já contamos com crédito aprovado para o valor que restaria até a conclusão da obra. Por outro lado, já estudamos parcerias com investidores, já sabemos do interesse de uma instituição bancária se instalar no local”, adianta o presidente.

Fonseca prevê a construção em duas etapas. Uma com a edificação do prédio da Associação, como descrito anteriormente, mas futuramente, aproveitando o tamanho do terreno, construir um centro de convenções e um centro empresarial espaço para escritórios, em anexo. “Existe a possibilidade desta segunda etapa serem realizadas parceria com investidores, entrando com parte do terreno e a contrapartida ser dada em área construída”, explica, Fonseca prevendo que a primeira etapa seja finalizada em 24 meses.

Para o presidente da ACIPG a construção da nova sede será um divisor de águas na história da instituição, pois além de se tornar uma referência na região, proporcionará ao associado uma melhor estrutura para curso, eventos entre outras atividades. “Estamos economizando ao máximo, trabalhando incessantemente para deixar este legado para nossos associados e nosso município. Dispor de uma nova estrutura, que atenda todas as necessidades da Associação é a nossa missão”, disse Fonseca