Correio dos Campos

Passos lamenta reajuste de vereadores: “votado às pressas”

Vereador foi o único a se posicionar contrário ao projeto de lei que reajustou o subsídio dos 23 vereadores em 3,86%. Parlamentar encaminhou ofício pedindo que próprio salário seja mantido.
23 de Maio de 2018 às 17:58

COM ASSESSORIAS – O vereador Felipe Passos (PSDB) lamentou o reajuste salarial de agentes políticos que implicou no aumento dos subsídios em 3,86%. A proposta foi protocolada nesta quarta-feira (23) e aprovada em duas discussões no mesmo dia – a medida também concede aumento de 5% para os servidores, ambos reajustados por conta da inflação.

O projeto entrou na ordem do dia antes do começo da sessão e a reposição inflacionária compreende o mês de janeiro de 2017 até abril de 2018. Único vereador a votar contrário ao projeto, Passos lamentou o que chamou de ‘votação às pressas’. “Um projeto importante como esse não pode ser votado a ‘toque-de-caixa’ na Câmara. Não houve tempo para que fosse estudado com calma e sequer analisado o valor do aumento”, ressaltou o vereador. Felipe Passos calcula que a medida implicou em um aumento anual de mais de R$ 100 mil nos cofres públicos.

Por conta da posição contrária, o vereador encaminhou um ofício ao presidente da Câmara, Sebastião Mainardes, pedindo que o próprio subsídio não seja reajustado, além dos salários dos assessores de gabinete do vereador. Além disso, solicitou que o valor reajustado, de cerca de R$ 300,00, seja investido em projetos da Secretaria Municipal de Saúde. O vereador ainda reiterou que acha o valor do subsídio dos parlamentares muito alto e, por isso, realiza a doação de parte do salário mensalmente.