Correio dos Campos

“Dever cumprido”, diz Zampieri sobre mudanças na München

Vereador presidiu CEI que analisou o uso de dinheiro público na realização da festa.
16 de Maio de 2018 às 08:23
Foto: Kauter Prado/CMPG

IMPRENSA/Ponta Grossa – O vereador Ricardo Zampieri (PSL) comemorou as mudanças na realização da Münchenfest, divulgadas pela Prefeitura de Ponta Grossa (PMPG) nesta segunda-feira (14). Presidente de uma Comissão Especial de Investigação (CEI) que trata do uso de dinheiro público na realização do evento, Ricardo destacou a importância das investigações realizadas pelo Legislativo.

“Dever cumprido”, diz Ricardo sobre as apurações realizadas pelos vereadores sobre a organização do evento. A CEI presidida por Zampieiri ouviu uma série de autoridades públicas municipais ligadas à organização do evento. “Nossa preocupação era apurar o efetivo cumprimento do edital de licitação. A festa deveria ser totalmente terceirizada e o que encontramos não foi bem isso”, destacou o parlamentar.

Zampieri lembra que as cobranças públicas realizadas pelos membros da Comissão fizeram a Prefeitura repensar o modelo do evento. “Não se tratava de querer ou não a festa, se tratava de ver dinheiro público sendo gasto em benefício do ente privado. Por isso, destacamos que se a festa tinha sido de fato terceirizada, a Prefeitura não deveria gastar quase R$ 400 mil com horas-extras dos funcionários que atuaram no local”, exemplificou Ricardo.

O vereador, presidente da CEI, lembrou que ainda no final de 2017 o município lançou uma enquete pública para discutir, junto da comunidade, o futuro da München – a enquete foi lançada após a criação da Comissão. “A comunidade não é contra a München, mas somos contrários a colocar uma grande quantidade de dinheiro público no evento”, destacou o parlamentar.

Com a relatoria de Pastor Ezequiel (PRB), a CEI da Münchenfest deverá entregar o relatório final nos próximos dias. “Acho que a principal vitória da CEI foi conseguir sensibilizar o Poder Executivo sobre o uso de recursos públicos em prol de uma festa que não atendia a comunidade. Acredito que tivemos uma vitória importante nesse debate sobre o uso de dinheiro público”, destacou Ricardo.

Festa aberta ao público

Ricardo ressaltou ainda que a paralisação da Efapi por parte do município em 2017 foi um retrocesso – o evento é realizado em parceria com a Sociedade Rural dos Campos Gerais e foi cancelado em 2017. “A Efapi tem shows nacionais, mas o evento em si é aberto ao público e pode ser prestigiado pela comunidade. O parque de diversões e a praça de alimentação são opções sem custo direto para a comunidade”, lembrou Zampieri. O vereador comemorou também a retomada da Efapi. “É um evento que movimenta a economia e parcialmente aberto ao público”, lembrou Zampieri.