Correio dos Campos

Fumtur busca ampliar o turismo religioso na região

4 de Maio de 2018 às 18:40

IMPRENSA/Ponta Grossa – Há pouco mais de um mês à frente da Fundação Municipal de Turismo (Fumtur), o presidente Edgar Hampf busca estratégias para ampliar as rotas turísticas de Ponta Grossa e desenvolver o turismo religioso na região. Na tarde desta sexta-feira (4), o presidente da Fumtur reuniu-se com o bispo de Ponta Grossa, Dom Sérgio Arthur Braschi, para discutir ações conjuntas para a ampliação do turismo religioso na cidade, em particular sobre a ermida Nossa Senhora Mãe da Divina Graça, que está dentro do parque estadual de Vila Velha. A diretora do Departamento de Turismo da Fumtur, Rosilete Martins, também participou da reunião.

“Queremos incrementar o turismo religioso em Ponta Grossa e, para isso, estamos buscando a ampliação das opções de pontos de visitação, tanto para turistas como também para os próprios ponta-grossenses. Temos roteiros que as pessoas podem visitar gratuitamente, através do projeto “Conhecendo Ponta Grossa”, incluindo a Catedral, a Casa do Divino, o Mosteiro da Ressurreição, entre outros. Além disso, também temos como objetivo aumentar as rotas para visita”, explica Hampf.

Para o Bispo, a cidade apresenta diversos atrativos que podem ser explorados, de forma que o encontro serviu como forma de estreitar laços com a Fumtur. “Ponta Grossa tem muito potencial turístico, e nós, enquanto Diocese, também temos muito interesse pelo turismo, principalmente o religioso”, relata Braschi. O bispo também foi informado sobre diversos projetos que estão sendo desenvolvidos pela Fundação Municipal de Turismo, em particular sobre a sinalização turística nas principais igrejas da cidade. Ele também se manifestou sobre o apoio do município à tentativa de se recuperar a ermida que abriga o Santuário Mãe da Divina Graça para o roteiro turístico-religioso de Ponta Grossa.

Como reforça o presidente da Fundação, a Igreja é um marco arquitetônico há muito ignorado e que está, além de fora do roteiro turístico, praticamente sem uso. Ainda segundo Hampf, a Fumtur está preparando uma ampliação significativa de opções para os roteiros da rota do Turismo Religioso, que deve ser concluída em um prazo máximo de quinze dias.