Correio dos Campos

Novo bispo de Paranavaí fala em reunião do clero

Monsenhor Mário Spaki veio convidar ‘irmãos sacerdotes’ para ordenação.
3 de Maio de 2018 às 17:11
Monsenhor Mário Spaki fez questão de vir convidar pessoalmente os colegas padres para suas ordenações episcopal e canônica. Fotos: Divulgação / Diocese de PG

COM ASSESSORIAS – Padre Mário Spaki, iratiense, nomeado bispo de Paranavaí no último dia 25, foi a grande atração da primeira reunião geral do clero deste ano. Realizada na Paróquia São Pedro Apóstolo, no bairro Sabará, em Ponta Grossa, o encontro contou com padres e diáconos de toda a Diocese de Ponta Grossa, na discussão de temas como a renovação das paróquias, a Igreja em Saída, Comunidade Samaritana, a Ação Em Cada Comunidade uma Nova Vocação, a estruturação nas comunidades do Conselho de Leigos e a distribuição e discussão da Cartilha de Orientação Política, a gestão paroquial e a aproximação entre as paróquias e a Mitra. O bispo dom Sergio Arthur Braschi abriu os trabalhos, fazendo um resumo do que foi a visita missionária à aldeia de Queimadas, em Ortigueira, no último domingo, e destacando aspectos importantes da 56ª Assembléia Nacional dos Bispos, em Aparecida.

O mais novo bispo do Brasil, tanto em idade quanto em tempo de nomeação, monsenhor Mário Spaki, falou da alegria de poder vir e contar para os padres sobre esse novo chamado, ”que eu acolho da mãos de Deus esse novo trabalho, que é o ministério episcopal na Diocese de Paranavaí. Vim relatar como foram os últimos episódios e convidar a todos e a comunidade de Ponta Grossa para a ordenação episcopal no dia 22 de junho, às 18 horas, na catedral”, comentou Spaki, lembrando que a posse canônica será dia 8 de julho, dia em que a Diocese de Paranavaí comemora seu Jubileu de Ouro. “É muito bom encontrar os padres. Eu vivi aqui, amo a Diocese de Ponta Grossa porque foi a Diocese que me mostrou tudo o que se pode fazer de bem pela Igreja. E quanta coisa bonita saiu daqui e foi para o Brasil inteiro!”.

Monsenhor Mário Spaki contou que não teve tempo de se preparar para Paranavaí por estar com duas frentes muito grandes de trabalho no Regional Sul 2. “A ação evangelizadora Em Cada Comunidade uma Nova Vocação, foi apresentada aos bispos, na assembleia de Aparecida. Nasceu aqui e foi aprovada para o Brasil todo e será colocada em prática em todos os Regionais”, detalhou. Monsenhor está com viagens agendadas para o nordeste e região central do Pais para estruturar a ação. Outra importante demanda é o pedido feito pela presidência da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil para a elaboração da Cartilha de Orientação Política para este ano eleitoral. Foi feita em Curitiba e está pronta. “Tema muito quente. A Igreja quer os católicos estejam mais atuantes, mais presentes na política. E a Cartilha vai ajudar a Igreja do Brasil a avançar nessa questão em que o Pais está muito atrasado”, detalhou. A elaboração está dando um trabalho muito grande, segundo Spaki, que´é o diretor da publicação. “Está sendo distribuída e o Brasil todo vai se envolver”, enfatizou.

Além das duas demandas nacionais, monsenhor ainda está à frente do trabalho rotineiro do Regional e da preparação para a ordenação. “Quando foi divulgada minha nomeação como bispo eu recebi mais de sete mil mensagens só no primeiro dia. Respondi uma a uma. Afinal, se mandou mensagem para mim, é digno de receber uma resposta minha. Demorei vários dias, mas fiz e muito feliz!”.