Correio dos Campos

Visando economia, Stocco quer acabar com o uso de papel na Câmara

Vereador sugere modernização do sistema de funcionamento do Legislativo. Apenas de janeiro a abril desde ano, foram usadas mais de 33 mil sulfites.
2 de Maio de 2018 às 17:19
Foto: Kauter Prado/CMPG

COM ASSESSORIAS – O vereador Geraldo Stocco (Rede) quer acabar com o uso de folhas de papel na Câmara Municipal de Ponta Grossa. Presidente da frente ambientalista do Legislativo, o parlamentar enviou um requerimento ao presidente da Casa, Sebastião Mainardes (DEM), sugerindo a gradual diminuição do uso de papel, com a adoção de medidas de economia.

De acordo com Stocco, apenas entre o início de janeiro e 17 de abril deste ano, foram usadas mais de 33 mil folhas sulfite na impressão de projetos de lei, ordens do dia e outros documentos utilizados no trâmite normal do Legislativo. “Existem várias formas de conseguir diminuir e, em médio prazo, extinguir o uso de papel. Hoje ele representa desperdício de dinheiro público”, conta.

Stocco propôs ao presidente o uso mais frequente do sistema informatizado que a Câmara já possui, onde os vereadores têm acesso aos documentos necessários durante a sessão, minimizando as impressões. Durante a transição para o uso do sistema, o parlamentar sugeriu que a Mesa Executiva retire as ‘Sugestões’ da versão impressa da Ordem do Dia, diminuindo o número de impressões. Outra alternativa é deixar a impressão dos projetos de lei por conta de cada vereador.

Papel em excesso também prejudica uso do espaço

Construída na década de 1980, a sede do Legislativo em Ponta Grossa sofre com a falta de espaço: o local abriga hoje 23 gabinetes, mas foi planejado para 15. Com isso, o arquivo físico dos documentos usuais da Câmara também prejudica o uso do espaço. “Adotar o uso digital de arquivos traria economia de recursos financeiros e também de espaço físico aqui na Câmara”, conta Stocco.