Correio dos Campos

Departamento do Deficiente de PG realiza Terapia Assistida por Animais

29 de Maio de 2017 às 14:01

Animais que participam da terapia passam por avaliações clínica, psicológica e de personalidade com veterinária parceira

O Departamento do Deficiente, da Fundação Proamor, iniciou este ano a Terapia Assistida por Animais (TAA), como ação complementar no atendimento a diferentes deficiências e problemas de desenvolvimento. O contato com animais resulta em inúmeros benefícios para o corpo humano, sendo o principal deles a liberação de endorfina, causando em bem-estar e relaxamento. Essa é a premissa da TAA, que tem benefícios já comprovados cientificamente.
As ações do departamento são centradas em uma instituição de atendimento ao deficiente por semestre e, neste momento, a Associação de Pais e Amigos do Deficiente Visual (Apadevi) é a primeira beneficiada. Os encontros entre os usuários da entidade e os animais selecionados acontecem uma vez por semana, acompanhados sempre pela fisioterapeuta do departamento, por uma médica veterinária parceira e pelo proprietário do animal. A visita é realizada por um único animal por vez.
“Assim que a equipe chega com o animal, a gente já percebe que o ânimo de todo mundo muda, até mesmo dos funcionários. Nossos usuários ficam mais animados e muito felizes com as visitas. Como sabem com antecedência, já ficam na expectativa pela atividade. Percebemos muitas melhoras, desde o bem estar durante a visita, como também mais interação entre usuários de diferentes idades”, conta a assistente social da Apadevi, Regina Rosa. A Apadevi conta hoje com 191 usuários, de diferentes idades, desde bebês até adultos e idosos.
Até o momento, o Departamento do Deficiente tem à disposição três cachorros e um gato para desenvolver a TAA, de proprietários que se voluntariaram em ceder os animais para as visitas. Todos os pets passam por um rigoroso processo antes de terem contato com os usuários das entidades. Em parceria com o Cescage, os animais passam por diversas avaliações com uma médica veterinária: exame clínico, para verificar a ocorrência de problemas de saúde; teste psicológico, que verifica, por exemplo, se o animal é imprevisível; além de um teste de personalidade, que identifica como o animal reage em situações imprevistas, como barulho.
“Hoje trabalhamos com animais com diferentes perfis, mas todos são dóceis, carinhosos e pacientes. O Pitbull Pirata é de grande porte, mas muito atencioso, a Pug Punk já é mais agitada e gosta de brincar. Cada um dos animais interage de uma forma diferente com os usuários, mas somente depois de ter passado por todas nossas avaliações”, explica a veterinária Erika Zanoni.
De acordo com pesquisas da área, com a TAA, os benefícios nos pacientes podem ser físicos e mentais, pela inibição da dor e estímulo à memória, assim como sociais, pela oportunidade de comunicação, sensação de segurança, socialização, motivação, aprendizagem e confiança, além de diminuir a solidão e a ansiedade; recuperar a autoestima, desenvolver sentimentos de compaixão e estimular a prática de exercícios.
“Estamos sempre buscando desenvolver projetos e ações que contribuam com o desenvolvimento de pessoas com deficiência, sejam dentro do nosso departamento, como também nas próprias instituições de atendimento. No próximo semestre, uma nova instituição será beneficiada e esperamos levar a Terapia Assistida por Animais para um número cada vez maior de pessoas” destacou a presidente da Fundação Proamor e Secretária de Assistência Social, Simone Kaminski.

Departamento do Deficiente
A Terapia Assistida por Animais é apenas uma das atividades ofertadas gratuitamente pelo Departamento do Deficiente, que está instalado no Ginásio Jamal Farjallah Bazzi. Ponta Grossa é o único município do Paraná com um ginásio adaptado para a prática esportiva de pessoas com deficiência. Atualmente, são cadastrados no departamento mais de 3.300 usuários, de diferentes deficiências, que podem participar gratuitamente dos atendimentos de fisioterapia, atividade física, assistência social, musicoterapia, oficina de circo e terapia assistida por animais.

TAA
A TAA tem sido eficaz para diferentes deficiências e problemas de desenvolvimento, como paralisia cerebral; desordens neurológicas, ortopédicas e posturais; comprometimentos mentais como a Síndrome de Down, ou sociais, como os distúrbios de comportamento, autismo, esquizofrenia e psicoses; comprometimentos emocionais, deficiências visual e/ou auditiva, distúrbio de atenção, de aprendizagem, de percepção, de comunicação e de linguagem, de hiperatividade, além de problemas como insônia e estresse.