Correio dos Campos

Sexualidade feminina será tema de palestra em Ponta Grossa

19 de Maio de 2017 às 18:32

O desenvolvimento consciente da sexualidade feminina. É este o tema da palestra que a fisioterapeuta Priscila Martins Calil ministrará na Casa Leonardo na segunda-feira, dia 29 de maio, às 19h30. Para desenvolver o tema, a profissional fez uma somatória de suas formações: fisioterapia pélvica, fisiosexologia e educação sexual somática. “Avalio que agora estou preparada para passar meu conhecimento para o público feminino”, esclarece. A palestra é gratuita e aberta ao público.

Em seus consultórios – em Curitiba, Porto Alegre e Ponta Grossa -, Priscila conta que 80% de seu público é masculino. Por isso, a profissional se propôs a uma metodologia diferente para o atendimento às mulheres. Na Casa Leonardo ela atenderá grupos, por meio de um curso que terá a duração de um final de semana.

A profissional esclarece que mesmo sendo seres sexuais, ainda há uma barreira para falar sobre o tema sexualidade, tanto para o público feminino quanto para o masculino. “Ainda há uma barreira presente. Temos que quebrar esta barreira, que é composta, sobretudo, da vergonha. Desde crianças nos ensinam – erroneamente – a sentir certa culpa quando o assunto é a sexualidade”, explica.

Em sua palestra, e de forma mais aprofundada no curso, Priscila abordará inicialmente o empoderamento feminino. Isso para que as mulheres descubram as várias formas de amar a si mesmas. “Primeiro temos que ter o conhecimento de nós mesmas”, ressalta, lembrando que com o feminismo muito se fala em igualdade de gêneros. “Homens e mulheres não são seres iguais, temos nossas diferenças. Ao falar do empoderamento procuro ressaltar que temos que nos colocar lado a lado com os homens”, comenta.

Conforme a fisioterapeuta, este esclarecimento de se colocar e se ver lado a lado, mulheres e homens, faz com que a sociedade de fortaleça como um todo. “Assim evitamos o atrito atrelado a conceitos e conseguimos ampliar a comunicação assertiva entre os gêneros”, destaca, completando que esta comunicação é essencial, inclusive na vida conjugal. “Atuo há 17 anos com sexualidade e posso afirmar que muitos casais ainda não conseguem se comunicar eficientemente, principalmente quando o assunto é sexo”, relata.

No processo casal, Priscila acredita ser essencial a comunicação assertiva, lado a lado. “Assim podemos dizer o que gostamos, além de ter a possibilidade de nos abrir para novas experiências. Isso de forma consciente”, ressalta. Para a profissional, a falta de diálogo acarreta em problemas, como experiências nas quais uma das pessoas acaba por permitir o que não quer. “Ao invés de permitir podemos consentir”, diferencia, e questiona “porque não ampliarmos as formas de prazer?”.

Das Assessorias