Correio dos Campos

Jovem de 24 anos é morto a tiros em frente a casa noturna de Cascavel, diz polícia

Caso foi registrado na madrugada de domingo (19). Polícia informou que discussão entre vítima e suspeito resultou no crime. Alexander Campos, tinha 24 anos e deixa filho de 1 anos e 7 meses. Ninguém foi preso
20 de junho de 2022 às 15:28
(Foto: Reprodução RPC)

O jovem Alexander Campos, de 24 anos, foi morto a tiros em frente a uma casa noturna de Cascavel, no oeste do Paraná, na madrugada de domingo (20), conforme a Polícia Civil.

Segundo o delegado Diego Valim, uma das linhas de investigação é legítima defesa, mas que ainda não há uma confirmação de como o crime será caracterizado.

Testemunhas informaram à polícia que o pagamento de uma bebida resultou em uma discussão e que o jovem foi retirado do local por uma guarda, que é suspeito pelo crime.

“Eles (testemunhas) relataram que ocorreu uma desavença entre a vítima, enquanto ela pagava uma champanhe na casa noturna e em virtude disso, o segurança da casa noturna acabou colocando esse indivíduo para fora. Ele (vítima) saiu proferindo ameaças ao segurança e dizendo que voltaria ao local. […] Retornou em uma motocicleta. Testemunhas disseram que ele desceu já com a arma.[…] O guarda, temendo por sua vida, do lado de fora da casa noturna, efetuou disparos contra ele,” informou o delegado.

Conforme a polícia, a arma que o jovem portava não possuía registro. Já a arma utilizada pelo guarda tinha registro, mas que falta esclarecer se ele tinha porte ou apenas a posse do objeto.

Imagens de câmeras de segurança do local foram colhidas e serão usadas na investigação, segundo o delegado. Assim como os relatos das testemunhas, que ainda não foram ouvidas oficialmente pela polícia.

Ninguém foi preso.

Família quer justiça

A mulher de Alexandre, Amanda dos Santos, estava com ele no momento do crime. Ela firma que a confusão iniciou porque após o pagamento de uma bebida, a pessoa que atendia no caixa do bar não entregou comprovante de pagamento para Alexander.

“A gente passou para pagar e eles estavam bem próximos da gente, menos de um metro. Eles viram que a gente pagou e que a moça do caixa não deu o papel. Quando ele (Alexandre) foi querer sair, ele (o guarda) começou a questionar onde estava o papel e falar ‘quem ele achava que era’. Já chegou outro segurança por trás, deu uma gravata nele e arrastaram ele pra fora e ele ficou nervoso,” explica a jovem.

Ela afirma que o marido e que o guarda estavam errados, mas que nada justifica a atitude do guarda, que segundo ela, disparou seis vezes contra Alexander. Emocionada ela pediu justiça.

“Eu sei que ele também estava errado, mas legítima defesa em quem não atira e leva seis tiros? Eu só quero saber quem matou ele. E não importa se ele estava certo ou errado, eu só quero justiça. Se ele matou, tem que pagar,” afirmou Amanda.

O jovem deixou a mulher e um filho de apenas um ano e sete meses.

Fonte: G1