Correio dos Campos

Garota morta em rodovia foi vítima de armadilha do ex-namorado, diz polícia

Polícia Civil afirmou que imagens mostram veículo conduzido pelo ex perseguindo a jovem. Além disso, conversas no WhatsApp mostram ele afirmando para o amigo que iria fugir após o crime.
26 de Maio de 2020 às 08:42
Segundo a Polícia, Nayara morreu após ser vítima de um acidente provocado pelo ex-companheiro — Foto: Reprodução/Facebook

Policiais do 2º DP de Itanhaém, no litoral paulista, concluíram que Nayara da Silva, de 21 anos, foi vítima de uma armadilha no dia em que morreu ao sofrer um acidente e depois ser atropelada ao pedir ajuda. As investigações apontaram que o ex-companheiro da jovem foi o responsável por causar o primeiro acidente da vítima, após eles terminarem o relacionamento.

A vítima morreu atropelada enquanto pedia ajuda após sofrer um acidente de moto na Rodovia Padre Manoel da Nóbrega no dia 17 de maio. A moto dela foi encontrada embaixo da defensa metálica do acostamento. A tia chegou a afirmar ao G1 que a sobrinha era muito cautelosa sempre que pilotava e que a família estava sofrendo muito com sua morte.

Inicialmente, os familiares e a polícia foram informados por testemunhas que ela tinha sofrido uma queda da moto. Porém, a Polícia Civil achou muito suspeito como ocorreu todo o acidente que vitimou a jovem. Com isso, foram efetuadas diligências para entender os fatos que antecederam o momento que ela teria caído da motocicleta.

A equipe apurou que a vítima, funcionária de um supermercado do bairro Jardim Oásis, fazia aquele percurso diariamente com sua motocicleta. Isso fez com que as autoridades questionassem se ela tinha desavença com alguém.

Os policiais, então, descobriram que ela havia comentado com colegas de trabalho que vinha sofrendo ameaças verbais, por parte de um ex-namorado identificado como Márcio Manoel dos Santos, que já havia sido gerente de uma dessas lojas da mesma rede de supermercado que ela trabalhava.

De acordo com a Polícia Civil, não foi localizado registro de boletins de ocorrência desta natureza (ameaça), porém a informação foi confirmada com diversas pessoas próximas à Nayara. Os policiais procuraram imagens que pudessem confirmar uma possível perseguição e encontraram uma câmera do monitoramento municipal captando a saída da vítima do supermercado, com um veículo cinza logo atrás.

Ao pesquisarem a placa do veículo, identificaram que o carro pertence a José Maurício da Silva Pereira, amigo do rapaz com quem Nayara mantinha um relacionamento. Os policiais foram até a casa desse colega e o encontraram no local, assim como também viram o veículo na garagem.

Crime

Maurício não resistiu a abordagem, de acordo com a polícia, e disse que já sabia porque estava sendo procurado. Na delegacia, ele afirmou que o ex-companheiro da vítima estava trabalhando no mesmo local que ele e pediu o carro emprestado.

Ainda conforme relato dele, ambos estavam em um churrasco na casa de amigos e Márcio fez o primeiro contato por telefone com ele. Por volta das 18h, os dois foram buscar o carro que o ex de Nayara queria emprestado, e foram até o supermercado em que a vítima trabalha.

No local, conforme relatou o dono do veículo, Márcio afirmou que Nayara estaria grávida. Eles aguardaram que a jovem saísse e a seguiram até a Rodovia padre Manoel da Nóbrega, altura do km 325, onde Márcio jogou o veículo em cima da motocicleta que ela conduzia, causando a colisão dos veículos e fazendo com que ela sofresse um acidente. Eles fugiram em seguida e voltaram ao churrasco.

Segundo o colega do investigado, no dia seguinte, o ex de Nayara foi trabalhar normalmente, como se nada houvesse ocorrido. O veículo de Maurício foi levado para delegacia e ele informou que o carro passou por concerto, para ocultar o crime. A informação foi confirmada pela polícia com o mecânico que fez os reparos.

A Polícia Civil realizou diligência, mas não localizou Márcio. De acordo com os policiais, foram encontradas conversas entre ele e o amigo, em que o rapaz informou que fugiria.

Pelas declarações de Maurício, a Polícia acredita que Márcio já havia premeditado todo o crime, já que utilizou um veículo que Nayara não conhecia e aguardou que ela saísse do trabalho. Além disso, o acidente foi causado em local isolado, em um horário de pouco tráfego, sem monitoramento de câmeras e pouco iluminado.

De acordo com a Polícia Civil, as investigações apontam que o objetivo dele era bater na moto para matá-la, já que sabia que a jovem era recém habilitada e também por não ter prestado socorro. Nayara chegou a sobreviver a queda, mas ao ir pedir ajuda na rodovia, foi atropelada acidentalmente por um motorista que não conseguiu frear a tempo ao vê-la. Ele não tinha envolvimento com os suspeitos. A jovem veio a óbito no local.

Maurício foi indiciado e está preso. Já Márcio teve a prisão preventiva decretada e segue foragido, conforme informou a Polícia ao G1.

Fonte: G1