Correio dos Campos

Após laudo do IML apontar apendicite aguda, morte de menina de 5 anos será investigada

7 de Maio de 2020 às 07:22
(foto: Catve)

O laudo do IML (Instituto Médico Legal) apontou apendicite aguda como a causa da morte de uma menina de cinco anos, que morava no Bairro Interlagos em Cascavel.

Familiares que foram ao Instituto Médico Legal receberam o documento médico com a informação e ficaram inconformados. Ana Paula de Lima Navarro começou a se sentir mal no domingo (03) e foi levada até a UPA (Unidade de Pronto Atendimento) Tancredo na segunda-feira (04). Ela passou por exames, mas foi liberada.

Na receita médica apresentada pela família foram prescritos medicamentos como Paracetamol, Ibuprofeno, Bromoprida e Dimeticona. “Já estava bem avançado, como podem dizer que foi gases. Ela já estava bem estufadinha e se queixou e no caso mandaram para casa. A gente vai ter que rever essa situação porque está ficando difícil. Hoje foi ela, amanhá será quem?”, desabafa a tia Eva Machado.

Na tarde desta quarta-feira (6), Ana fez oração com a vó e foi assistir desenho. A menina ao tentar tomar leite passou mal e então a avó ligou para o Samu. Quando a equipe chegou a criança já estava morta. “Ela vomitou escuro, foi a hora que a vó se desesperou para chamar o pessoal para dar o atendimento. Quando eles chegaram, não tinha mais o que fazer, pois já tinha estourado”, diz Eva.

A tia lamenta pela situação e pelo sentimento de tristeza da família. “Foi muito triste. Ela mora com a avó. Está ficando difícil, ela tem um irmão de sete anos que pede por ela. Como vamos dar essa notícia para ele”.

Investigadores da Delegacia de Homicídios e peritos da criminalística estiveram na casa onde a menina morreu para realizar a perícia.

Investigação

A morte da menina também deve ser investigada pelo Consamu – Consórcio Intermunicipal de Saúde que então avaliará a necessidade de sindicância. Caberá ao consórcio, que é gestor da UPA (Unidade de Pronto Atendimento) Tancredo, essa atribuição já que a criança foi levada até a unidade após se sentir mal.

“A Secretaria da Saúde de Cascavel após tomar conhecimento do caso de uma menina de cinco anos que morreu, em casa, na tarde desta quarta-feira (6) vai oficiar o Consamu, gestor da UPA Tancredo, para que faça a investigação e sindicância do caso, já que a criança passou pela Unidade de Pronto Atendimento”, afirma em nota a Secretaria de Saúde de Cascavel.

Ainda de acordo com a nota, cabe a cada profissional da saúde pública a melhor conduta no tratamento dos pacientes. “O município reitera que disponibiliza profissionais de saúde, exames diagnósticos e medicamentos, cabendo a cada profissional de saúde realizar a avaliação e estabelecer a melhor conduta para atender aos pacientes”.

Fonte: Catve