Correio dos Campos

Mulher que divulgou vídeo fake de caixão com pedras, em BH, pede desculpas; ‘muito abalada’, diz advogado

Segundo o advogado de Valdete Zanco, ela já teria se apresentado à polícia de Jacutinga, onde foi ouvida e liberada. Polícia Civil não confirma.
6 de Maio de 2020 às 08:41
É #FAKE que desenterraram caixões de vítimas do coronavírus e encontraram apenas pedra e madeira. — Foto: G1

Após a Polícia Civil afirmar, nesta terça-feira (5), que procura a mulher do vídeo em que aparecem caixões cheios de pedras e madeira no lugar de supostas vítimas de Covid-19, o advogado dela divulgou uma nota com pedido de desculpas. Alexsander Pereira disse que a cliente, Valdete Zanco, “está muito abalada” e que já foi ouvida na Delegacia de Jacutinga na segunda-feira (4). A Polícia Civil não confirma a informação.

“Valdete reconhece humildemente o erro e pede perdão ao Município de Belo Horizonte e seu Ilustre Prefeito e a todos quantos foram atingidos negativamente por este equívoco que cometeu”, disse o advogado em nota. Ao G1, Valdete reafirmou o pedido de desculpas.

Pela manhã, a Polícia Civil havia pedido ajuda à população para encontrar a mulher e afirmado que ela pode pegar até nove anos de prisão e, ainda, pagar uma multa pelos crimes de calúnia e difamação contra autoridade pública e pela contravenção penal por provocar tumulto ou pânico.

Na nota, o advogado disse que ela teria visto no Facebook a história dos caixões com pedras e pedaços de pau no lugar das supostas vítimas do novo coronavírus. E que, no mesmo dia, um cliente de sua loja teria comentado sobre o fato.