Correio dos Campos

Passeata marca início do “Maio Amarelo”

3 de Maio de 2018 às 10:52

IMPRENSA/Castro – A Prefeitura de Castro, através da Diretoria de Segurança Pública em parceria com o Detran, promoveu na quarta-feira (2) passeata pela Rua Dr. Jorge Xavier da Silva, marcando o início das atividades do “Maio Amarelo”, movimento de conscientização para redução de acidentes de trânsito. Participaram alunos da Escola Municipal Vicente Machado, Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE) e Guarda Municipal.

Atividades

O Maio Amarelo em Castro contará com palestras para alunos do quarto e quinto anos das escolas municipais das áreas urbana e rural, e ainda orientações para motoristas e pedestres com blitz educativa.

Nas palestras, a coordenadora do Maio Amarelo, Sonia Salete Braga, vai abordar a segurança no trânsito e distribuir minimultas com as quais os alunos poderão atuar como agentes mirins de trânsito e ‘notificar’ motoristas e pedestres quando observarem alguma infração às normas de trânsito. O pagamento das minimultas poderá ser feito em doces que serão depois doados para instituições.

Sonia explica que a ideia das minimultas é para que as crianças possam praticar e entender melhor como funciona o trabalho de um agente para que todos possam ter um trânsito mais seguro. Ela pede que quem for notificado entenda que se trata de uma atividade lúdica que está contribuindo para o aprendizado e conscientização das crianças. “É uma forma deles praticarem o que aprendem em sala de aula e ainda de ajudar outras crianças com a doação dos doces”, diz.

Movimento

Criado em 2011, o Maio Amarelo nasceu com a proposta de chamar a atenção da sociedade para o alto índice de mortes e feridos no trânsito em todo o mundo. O objetivo do movimento é uma ação coordenada entre o poder público e a sociedade civil. A intenção é colocar em pauta o tema segurança viária e mobilizar toda a sociedade para discutir o tema, engajar-se em ações e propagar o conhecimento,

O diretor de Segurança Pública da Prefeitura de Castro, Antonio Sergio de Oliveira, destacou que o movimento envolve toda a sociedade. “Se queremos um trânsito com menor número de acidentes possível, todos precisamos colaborar E ter atitudes que contribuam para um trânsito melhor”, disse.