Correio dos Campos

BRDE disponibiliza R$ 307 milhões para projetos de energias renováveis

Montante é 83% maior que o valor aplicado em todo o ano de 2019 em projetos no Paraná. No pacote estão inseridos ações e o planejamento do BRDE na cooperação de fortalecimento à promoção e ao alcance dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) no Sul do País.
20 de novembro de 2020 às 17:48
(Foto: Divulgação/AENPR)

O Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE realizou importantes operações na contratação de financiamentos nas áreas de energias renováveis, inovação e infraestrutura, fomentando recursos para ações de eficiência energética. No Paraná, desde janeiro, já foram R$ 307 milhões em créditos, valor 83% maior que todo financiamento no ano passado.

No pacote estão inseridos ações e o planejamento do BRDE na cooperação de fortalecimento à promoção e ao alcance dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) na Região Sul do País.

De acordo com Wilson Bley Lipski, vice-presidente e diretor de Operações do banco, o BRDE demonstra ser uma instituição financeira vanguardista, apoiando projetos sustentáveis com a preocupação de uso de recursos com efetividade à promoção da energia limpa em todos os ramos de atividades.

As ações, acrescenta, ocorrem de forma transparente para investimento de desenvolvimento e fomento à sustentabilidade. “Consideramos projetos que articulem com a sustentabilidade, promovendo inovação em eficiência energética, gerando economia e trazendo soluções tangíveis para problemas de concessão de energia no País”, afirmou Bley.

Os projetos apoiados constroem um plano para a implantação, modernização ou repotencialização de unidades geradoras de energia energias renováveis, assim como a aquisição de turbinas, geradores fotovoltaicos, aerogeradores e outros equipamentos para geração de energia e capital de giro associado.

FOZ DO IGUAÇU – O BRDE viabilizou financiamento total para o projeto inovador do Recanto Cataratas Thermas & Resort, em Foz do Iguaçu. A ação contempla a instalação de uma planta de geração de energia fotovoltaica no estacionamento do empreendimento. O valor total do investimento será de aproximadamente R$ 14,7 milhões.

O empresário Altino Voltolini conta que esse projeto tem um significado muito importante, já que o estabelecimento passará a produzir 100% da energia consumida, além de disponibilizar energia limpa, sem qualquer tipo de poluição. “Seremos o maior estacionamento coberto por painéis fotovoltaicos da América Latina. Além disso, ao longo dos anos teremos economia com energia convencional, tudo isso proporcionado pelo financiamento”.

Segundo o empresário, os painéis fotovoltaicos serão formados por 13 carretas, somando um total de 6.888 painéis. “A estimativa é de que, o espaço de estacionamento de automóveis, que compreende de 80 a 85%, entrará em funcionamento entre 15 e 20 de dezembro 2020. A parte de estacionamento de ônibus em meados de janeiro”, explicou.

GUARAPUAVA – Outro projeto em andamento é o da empresa Ilumina Guarapuava, vencedora do processo licitatório, de 2019, de prestação de serviços, incluindo a operação, modernização, ampliação, eficientização energética e manutenção do Parque Municipal de Iluminação Pública. O BRDE financiará o valor de R$ 16,5 milhões, sendo o montante total de investimentos de R$ 20,2 milhões para a primeira etapa do projeto.

De acordo com Rodson Luiz Lopes, presidente da Ilumina Guarapuava, já foram executados 60% da obra, sendo 13.607 pontos de iluminação instalados e 8.960 a serem implantados.

O Parque de Iluminação pública do município é, atualmente, composto por 21.922 unidades de iluminação pública, incluindo unidades de iluminação de parques e praças públicas, e 22.557 luminárias.

“A redução do consumo de energia já representa 60,58% e um aumento da luminosidade considerável e bastante abrangente. Esta implantação garantirá o aumento da luminosidade nas vias e calçadas, gerando economia de R$ 3 milhões na conta de energia ao ano para o município, bem como mais segurança aos motoristas e pedestres e redução mensal na emissão de 602,4 toneladas de CO2 na atmosfera”, explicou Rodson.

Fonte: AEN/PR