Correio dos Campos

Risco de cair em golpes virtuais aumentou durante a pandemia, alerta polícia

Pessoas em trabalho remoto ou consumidores que fazem compras pela internet podem estar mais expostos a riscos. Delegado recomenta atenção ao acessar links
16 de setembro de 2020 às 15:03
Polícia alerta para riscos de golpes virtuais durante a pandemia. (Foto: Simon Stratford/Freeimages)

Com mais pessoas trabalhando de forma remota, estudando de forma virtual e comprando pela internet por conta da pandemia do novo coronavírus, os riscos de cair em um golpe virtual aumentam. Com isso, os cuidados ao acessar links ou repassar informações pessoais deve ser redobrado, segundo o alerta da Polícia Civil do Paraná.

“Os cuidados devem ser redobrados. Não clique em qualquer link. Se é um e-mail de um remetente que a pessoa não conhece, não abra”, afirmou o delegado do Núcleo de Combate aos Cibercrimes, José Barreto de Macedo Júnior.

Como muitos destes crimes são cometidos usando servidores de fora do país, o que dificulta o trabalho de investigação policial, os usuários precisam ter cuidados redobrados para evitar o roubo de dados e senhas.

“Os cibercriminosos estão sempre em busca de uma oportunidade para chamar a atenção das vítimas para conseguir dados sigilosos”, disse o delegado.

Dados furtados

Uma das vítimas durante a pandemia foi a veterinária Cristiane Maria Lopes. No fim de agosto, a clínica dela foi invadida por hackers e todas as informações da empresa foram furtadas.

“Nós tínhamos uma fragilidade porque estávamos trabalhando remoto, então tínhamos uma portinha aberta no nosso servidor, mas não imaginávamos que isso poderia acontecer, jamais”, afirmou a veterinária.

Os cibercriminosos deixaram uma mensagem, em inglês, que pedia U$ 1,2 mil para que as informações fossem devolvidas. Dias depois, o pedido dos hackers dobrou de valor.

“A decisão maior foi: vamos fazer o que é certo, dar o passo que é certo. Não é certo que a gente financie o crime, embora o que eles pedissem fosse menos do que o nosso prejuízo”, disse.

Com o golpe, a clínica perdeu informações relativas a 12 anos de trabalho.

“Eu sabia que existiam hackers, mas eu achava que eles iam atacar grandes empresas, não pequenas empresas, então isso pra mim foi realmente uma surpresa”, afirmou a veterinária.

Atenção a propostas tentadsoras

Segundo o delegado da Nuciber, um golpe que os hackers usam para tentar roubar dados dos usuários é através de propostas tentadoras, que atraem a pessoa a clicar em algum link malicioso.

A artesã Beatriz Abdalla faz vídeos, desde 2015, e ensina costura e artesanato pela internet. O conteúdo faz sucesso e ela tinha um canal com mais de 120 mil inscritos.

Em abril, ela recebeu um convite para uma parceria de uma empresa de edição de vídeos. O que parecia uma novidade era, na verdade, um golpe.

“Eu não estava conseguindo baixar um programa que eles me mandaram porque dava sempre erro. Eles me mandaram um vídeo pra assistir que ia me ajudar e o vírus estava neste arquivo”, afirmou.

Ela disse que, no dia seguinte, o canal tinha desaparecido, junto com os vídeos.

Os hackers usaram o canal dela na internet para divulgar um sistema de compras de criptomoedas. Beatriz perdeu mais de 300 vídeos e até agora não conseguiu recuperar o e-mail e o canal dos vídeos.

“O meu conselho é: confie desconfiando um pouquinho”, alertou a artesã.

Fonte: G1