Correio dos Campos

BRDE atinge marca histórica de R$1 bilhão em contratos

Desempenho é dos cinco primeiros meses do ano e representa um incremento, nos dados consolidados da Região Sul, de 78% frente as contratações no mesmo período do ano passado
29 de Maio de 2020 às 16:28
(Divulgação/AENPR)

AEN/PR – Desde o início da crise generalizada provocada pela pandemia do novo coronavírus, o Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) registrou um aumento na procura de linhas de créditos e financiamentos. O aumento nas operações solicitadas se dá, principalmente, por empresários paranaenses que buscam manter o fluxo de caixa das empresas e amenizar os efeitos financeiros da crise.

Com este aumento espontâneo das demandas, o BRDE registrou na última semana, o marco histórico de R$1 bilhão em contratos nos cinco primeiros meses de 2020, o que gerou um incremento, nos dados consolidados da Região Sul, de 78% frente as contratações no mesmo período do ano passado. Só do Paraná são R$ 358 milhões.

“Criamos uma força-tarefa de atendimento e empenhamos muitos esforços na atração de novos fundings para que conseguíssemos atender o maior número possível de pedidos. Aumentamos a produtividade e tudo isso graças a um processo que começou ainda em 2019”, destaca o diretor de operações do BRDE, Wilson Bley Lipski.

CELERIDADE – O processo a que Bley se refere é o de digitalização. Desde 2019, o BRDE iniciou um processo intenso no sentido de digitalizar grande parte dos processos, desburocratizando etapas e dando mais celeridade aos retornos das solicitações feitas ao Banco.

Foi implementada uma série de melhorias no internet banking, um sistema on-line que permite ao cliente do Banco o acompanhamento de todos os pedidos e, também, a possibilidade de novos solicitantes enviarem documentos e certidões de forma digital.

“É um avanço muito importante. O projeto estava previsto para ser 100% concluído em 2021, mas devido ao contexto gerado pelo novo coronavírus, aceleramos a finalização. Caso isso não acontecesse, teríamos mais dificuldades em dar respostas rápidas e resolutivas aos solicitantes, que buscam o BRDE como uma alternativa em meio à crise”, diz Bley.

INCREMENTO – No total, o BRDE estima que houve um incremento de pelo menos 132% na quantidade de operações aprovadas entre janeiro e maio de 2020. Pelo sistema, conduzido pelas equipes que estão com rotina readequada para atender ao volume de trabalho, há possibilidades de simplificar o relatório das análises de crédito, além de automatizar a geração de contratos, agilizar relatórios de fiscalização, possibilitar o enquadramento automático das operações, dentre outras funcionalidades.

“Podemos dizer que o internet banking foi decisivo para alcançarmos a marca de R$1 bilhão em contratações antes mesmo de chegarmos ao fim do primeiro semestre do ano. A revolução digital nos leva a investir em soluções que acompanhem as novas tecnologias, mas o sistema conseguiu superar as expectativas, facilitando muito o contato entre solicitantes, clientes e Banco”, observa o diretor de Operações.

INVESTIMENTOS DECISIVOS – No período em análise, além do sistema, dois programas se destacam. Como forma de apoiar a recuperação da economia na região, o BRDE lançou, em março deste ano, o Programa Recupera Sul.

No Paraná, com apoio do Governo do Estado, o Programa tem como principais objetivos a proteção dos empregos e o socorro às empresas dos principais setores afetados pela crise, oferecendo redução na taxa de juros, simplificação de processos, flexibilização de garantias e pulverização do crédito por meio de entidades parceiras.

Por meio dos contratos já firmados, estima-se que mais de 11 mil empregos, entre micro e pequenas empresas, cooperativas e indústrias, foram mantidos no Estado.

As estimativas, de certa forma, são comprovadas pelo Caged – Cadastro Geral de Empregos e Desempregados. Segundo dados divulgados nesta quarta-feira (27), o Paraná foi o estado brasileiro que menos perdeu postos de emprego nos primeiros quatro meses do ano.