Correio dos Campos

Corpo técnico do Parque Histórico visita museus de Curitiba

23 de agosto de 2017 às 17:59

Na terça-feira (22), o corpo técnico de funcionários da Associação Parque Histórico de Carambeí (APHC) visitou o Museu Oscar Niemeyer (MON) e o Museu Paranaense, instituições que são referências no Estado e no ambiente de museus, com intuito de aprimorar os trabalhos realizados no Parque Histórico de Carambeí, o maior museu histórico a céu aberto do Brasil.
Felipe Pedroso, historiador e coordenador cultural da APHC, explica que o intercâmbio entre instituições museais de diferentes tipologias e atuações é extremamente importante. “Esse diálogo proporciona um enriquecimento nas práticas cotidianas dos museus e uma gestão estratégica mais direcionada de acordo com as suas especificidades”.

O contato da equipe do Parque Histórico com o Núcleo Educativo do MON foi uma oportunidade para troca de experiências entre as instituições, para conhecer práticas que são aplicadas e aprofundar os conhecimentos na realidade educativa museal. “Conhecer os programas e a estrutura do setor educativo do MON iluminou uma estrada que estávamos percorrendo desde a consolidação do Núcleo Educativo do Parque Histórico, em 2016. Percebemos que compartilharmos de uma mesma meta institucional que dialoga com os parâmetros de um museu inserido na sociedade contemporânea, a democratização de seu conteúdo de forma clara e didática para todos. Em nossa bagagem, trouxemos novas ideias para as ações educativas, assim como uma reafirmação de nosso papel social e profissional. Pudemos ver como os nosso passos tímidos aos poucos se transformaram em uma marcha segura e progressiva que nos trouxeram longe. E, daqui, a vista é bem clara e promissora”, anima-se o historiador do Núcleo Educativo do Parque Histórico, Lucas Kugler.

No Museu Paranaense o grupo conheceu o acervo que conta com cerca de 400 mil peças, o mais completo do Paraná e modelo no trabalho realizado para conservação de objetos. “O Museu Paranaense é referência na prática de acervo, principalmente suas funções de salvaguarda e conservação preventiva. Para o corpo técnico do Parque Histórico é muito importante estar em contato com o trabalho realizado numa instituição de renome como esta”, explica Felipe Pedroso.

A visita aos museus foi muito proveitosa e deixou o designer do Parque Histórico, Lucas Los, entusiasmado. “É valoroso perceber que estamos alinhados com os conceitos estéticos utilizados na comunicação gráfica por estes grandes museus, foi uma ótima oportunidade para inspiração e para ampliar o meu leque de referências”.

O coordenador de mediação do Parque Histórico, Leandro Marcondes, relata que a visita técnica permitiu perceber o quanto é importante o museu estar em movimento para atrair o público espontâneo. “Notamos que estes museus são dinâmicos e sempre estão em busca de novidades para aproximar o público, que se preocupam com a democratização do acesso e com uma linguagem que alcance a todos. Esta foi uma experiência riquíssima para nossa equipe”.