Correio dos Campos

Capal ultrapassa 500 mil toneladas em recebimento de grãos na safra verão 21/22

4 de Maio de 2022 às 14:23
(Foto: Divulgação)

COM ASSESSORIAS – A Capal Cooperativa Agroindustrial finalizou a safra 21/22 com volume de recebimento de 527 mil toneladas. O maior número foi da Unidade de Taquarituba, com 124 mil ton de soja, correspondendo a 29% da recepção total do grão, que alcançou 430.577 toneladas. O segundo maior volume de recebimento foi em Arapoti (95,3 mil ton), seguido de Wenceslau Braz (66,2 mil ton), Taquarivaí (59,7 mil ton), Itararé (45,6 mil ton) e Curiúva (13,7 mil ton).

Já o milho teve maior volume de recepção em Arapoti. Foram 38,9 mil ton do grão entregues na Matriz, o que significa 40% da recepção total, que somou 96.433 toneladas. Depois, vem o recebimento em Itararé (25 mil ton), Taquarivaí (12,9 mil ton), Taquarituba (9,1 mil ton), Curiúva (5,7 mil ton) e Wenceslau Braz (4,5 mil ton).

O coordenador operacional Celso Ricardo Poletti Dias aponta que, além do volume recebido, a qualidade dos grãos também foi satisfatória. “Ambos os produtos estão com boa qualidade, sem problemas quanto à presença de grãos avariados, estando dentro do padrão”, pontua.

O agrônomo Marcelo José Odair, do Departamento de Assistência Técnica (DAT) de Wenceslau Braz, comenta que, em comparação com outras regiões do Brasil, fomos abençoados. Apesar da instabilidade e da variação climática, que influenciaram a produtividade, a média foi de 3 mil kg/ha até 5,9 mil kg/ha na região que atendida por ele.

Marcelo destaca a importância da pesquisa para se obter bons resultados na lavoura: “estamos sempre em sintonia com a Fundação ABC, pois a pesquisa é uma das ferramentas mais importantes, responsável pela agricultura de alto nível da região, aliada dos cooperados e da assistência técnica, sempre orientando recomendações eficientes no controle e principalmente nos custos de produção”.

Na Unidade de Beneficiamento de Sementes (UBS) em Wenceslau Braz, o recebimento total foi de 25,4 mil ton. O agrônomo Marcelo José Odair também assegura a qualidade, tanto dos grãos, quanto das sementes produzidos na última safra. “A semente que o cooperado vai utilizar na próxima safra foi produzida com muito cuidado”, garante.

O agrônomo pontua que para produzir grãos, independentemente de quais sejam (soja, milho, feijão, trigo, cevada ou aveia) e sementes deve-se fazer tudo muito bem feito, com muito capricho: “os insumos devem ser aplicados no momento correto, em parceria com a assistência técnica e o respaldo da pesquisa.” Finaliza ainda recordando que a Cooperativa trabalha constantemente para o sucesso da safra, com eficiência na aquisição de insumos e em todas as etapas dentro do processo, desde o início ao final da colheita.