Correio dos Campos

Dia do Hambúrguer: produtos vegetarianos e veganos ganham espaço na data

25 de Maio de 2021 às 19:45
Preocupados com o meio ambiente e com a manutenção da saúde, consumo de carne de origem vegetal cresce no país. (Foto: Divulgação)

COM ASSESSORIAS – Com a pandemia, 68% dos consumidores acreditam que a preocupação com a sustentabilidade deve ser levada ainda mais em conta, segundo o estudo “Food Trends Report 2021”. A preocupação com o meio ambiente, com a qualidade do alimento e com a saúde são indicativos do que muitos brasileiros buscam atualmente. É nesse sentido que a conscientização do impacto ambiental que a produção de alimentos causa no planeta desperta o interesse em saber o que se consome e entender as etapas do processo.

No dia 28 de maio, é comemorado o Dia do Hambúrguer, e uma das possibilidades é consumir carne vegetal ou hambúrgueres plant based. Nos restaurantes, nos mercados, nos aplicativos de delivery, as “plant-based meals” estão cada vez mais acessíveis e fazendo parte da rotina dos brasileiros. A busca por qualidade de vida e a preocupação com o meio ambiente são alguns fatores que incentivam hábitos mais saudáveis e sustentáveis. Segundo pesquisa da BHB Foods e Suplementos, a busca por produtos veganos cresceu 941% nos últimos oito anos no Brasil.

Segunda a engenheira de alimentos Erika de Almeida, alimentos veganos ou vegetarianos, que possuem ingredientes funcionais e menos aditivos químicos, são algumas tendências do segmento. “Entender a importância de uma alimentação saudável para a qualidade de vida e manutenção da saúde tem feito parte do dia a dia das pessoas nos últimos anos, e isso se acentuou durante a pandemia, com a necessidade de melhorar a imunidade”, afirma.

A analista de Pesquisa e Desenvolvimento da Jasmine Alimentos ainda afirma que “já se foi o tempo em que as alternativas de substituição da carne de origem animal eram difíceis de encontrar e exclusivas de vegetarianos”. Ela ainda lembra que a produção de alimentos substitutos de carne vem crescendo ano a ano. “Consumidores flexitarianos também estão impulsionando este mercado, ao diminuir o consumo de proteína animal”, explica.

Movimento Meatless

Com o significado de “menos carne”, Meatless é um movimento que apoia a redução do consumo de proteína animal. Indústrias de alimentos se adaptam a um cenário que gira em torno da popularização do veganismo e das preocupações do consumidor com a saúde e a crise climática. Erika ainda afirma que “o cenário está cada vez mais propício para empresas mudarem práticas e formas de produção. Não é passageiro, e atualmente podemos até chamar de tendência, mas o número de pessoas reduzindo o consumo de proteína animal tem tudo para seguir no caminho que estamos acompanhando hoje”. Segundo relatório da AT Kearney, em 2040, 60% da carne consumida será vegetal ou produzida em laboratório.