Correio dos Campos

Compagas analisa propostas para aquisição de gás natural recebidas em Chamada Pública

O potencial de contratação supera a marca dos 6 milhões de m³/dia. Juntas, as cinco distribuidoras que integram a Chamada Pública respondem por 15% do mercado de distribuição de gás no Brasil, atendendo mais de 170 mil consumidores.
20 de Maio de 2021 às 14:29
(Foto: Compagas)
As distribuidoras de Gás Canalizado do Centro-Sul do País, entre elas a Compagas (Companhia Paranaense de Gás), receberam mais de 130 propostas de suprimento de gás natural através da Chamada Pública – CP22. O prazo de recebimento foi encerrado no último dia 30 de abril e o resultado é superior ao primeiro processo realizado pelas concessionárias, demonstrando contribuição ao processo de abertura do mercado, mediante a ampliação do número de potenciais agentes e fontes supridoras.

As propostas foram enviadas por 13 empresas, contemplando diferentes modalidades de atendimento e vinculadas à importação, produção nacional, gás natural liquefeito (GNL) e biometano. Nesse momento está em andamento a avaliação pelas distribuidoras.

No total, o potencial de contratação supera a marca dos 6 milhões de m³/dia. Juntas, as cinco distribuidoras que integram a CP22 respondem por 15% do mercado de distribuição de gás no Brasil, atendendo mais de 170 mil consumidores.

A Chamada Pública Coordenada é uma iniciativa das distribuidoras Compagas, MSGÁS (Companhia de Gás do Estado de Mato Grosso do Sul), GasBrasiliano (Gas Brasiliano Distribuidora), SCGÁS (Companhia de Gás de Santa Catarina) e SULGÁS (Companhia de Gás do Estado do Rio Grande do Sul) e tem o objetivo de oferecer mais competitividade aos mercados cativos atendidos, mediante o impulso da concorrência na oferta de gás natural.

Atualmente, o único supridor nacional é a Petrobras. Com a Chamada há expectativa de que outros agentes entrem nesse mercado e com isso aumente a concorrência e baixem os preços no Brasil.

Rafael Lamastra Jr, presidente do Conselho de Administração da Abegás e diretor-presidente da Compagas, destacou que, mesmo com o alto número de propostas e agentes participantes no processo, há pontos de atenção que ainda necessitam de definições.

“Assim como foi constatado no primeiro processo de Chamada Pública, há uma série de desafios vinculados à regulação do transporte ainda a serem superados para a formação de um ambiente efetivamente viável, atrativo e sustentável para novos agentes supridores de gás canalizado. É imprescindível o estabelecimento de regulamentações que permitam a segurança necessária para a operação e atendimento a nossos mercados consumidores”, disse.

Para o enfrentamento destes desafios, as distribuidoras do Centro-Sul, apoiadas pela Abegás, vêm construindo desde o ano passado, em conjunto com o setor de transporte de gás, para definição via ANP, uma agenda positiva para o alinhamento deste novo ambiente de mercado, que permita a entrada de novos supridores.

A viabilização de tais propostas e contribuições, importantes para o novo mercado de gás, passam necessariamente pela efetivação de ajustes no atual modelo regulatório e pelo alinhamento de cronogramas de contratação de fornecimento junto às distribuidoras e de capacidade de transporte junto às transportadoras.

COMPAGAS – A Compagas é uma empresa de economia mista que tem como acionista majoritária a Copel, com 51% das ações, a Gaspetro, com 24,5% e a Mitsui Gás e Energia do Brasil, com 24,5%. Em março de 2000, a empresa passou a ser a primeira distribuidora do Sul do País a fornecer o gás natural canalizado aos seus clientes, com a inauguração do ramal sul do gasoduto Bolívia – Brasil (Gasbol).

Atualmente, a Compagas conta com mais de 47 mil clientes dos segmentos residencial, comercial, industrial, veicular e geração de energia elétrica e está presente em 16 municípios: Araucária, Curitiba, Campo Largo, Balsa Nova, Palmeira, Ponta Grossa, São José dos Pinhais, Colombo, Quatro Barras, Fazenda Rio Grande, Pinhais, Campina Grande do Sul, Paranaguá, Carambeí, Castro e Arapoti.

Fonte: AEN/PR